IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Coluna

Reinaldo Polito


As pessoas não prestam atenção quando você fala? Precisa saber uns truques

Reinaldo Polito

Autor de 31 livros que venderam mais de 1 milhão de exemplares, dá dicas de expressão verbal para turbinar sua carreira.

03/09/2019 04h00

Você vai participar de uma reunião. Preparou a sua apresentação com todo o cuidado. Sabe exatamente o que vai dizer, passo a passo. Foram semanas de trabalho, pesquisas e análises. Está tudo programado para um resultado bem-sucedido. Espere. Você pensou no conteúdo e no seu desempenho, mas será que avaliou bem como os ouvintes irão reagir diante da sua exposição?

Você pensou em como manter a atenção do público durante toda a apresentação? Sabia que está cada vez mais difícil fazer com que as pessoas se concentrem na mensagem por tempo prolongado? Na verdade, vamos constatar que o tempo de atenção não é tão prolongado assim.

A Lloyds TBS Insurance divulgou o resultado de uma pesquisa interessante e até preocupante. A pesquisa não é tão nova assim, pois data de 2008, mas é a mais recente disponível que pudemos encontrar. O estudo mostra que em dez anos a atenção média dos ouvintes caiu de 12 para apenas cinco minutos.

Esse resultado se deveu especialmente ao avanço da tecnologia, que tem tomado conta da sociedade de forma cada vez mais intensa. Com o crescimento vertiginoso das mídias sociais, é possível deduzir que nos últimos tempos a situação é ainda mais grave. Ou seja, basta um vacilo do orador para que a plateia se desligue.

Uma informação curiosa fornecida pela pesquisa é que as pessoas com idade acima de 50 anos têm o seu nível de atenção preservado por tempo mais prolongado. Esse fenômeno se deve ao fato de as pessoas mais idosas não se relacionarem tanto com a tecnologia quanto os mais jovens.

Portanto, as chances de que as pessoas se concentrem por mais tempo na sua exposição aumentam se a faixa etária for mais elevada. Entretanto, é bom não se fiar muito nessa condição, pois, de quando a pesquisa foi divulgada até os nossos dias, a tecnologia e o bombardeio de informações também chegaram aos mais idosos.

Agora que o problema está posto, como agir para que as pessoas se concentrem por mais tempo em sua apresentação? Quais os recursos de que poderá lançar mão para que os profissionais que irão participar da reunião fiquem atentos em suas palavras e avaliem com mais critério as suas propostas? Lembre-se de que, se as pessoas não prestarem atenção em nossa apresentação, a culpa será nossa, não delas.

Acrescentar uma boa quantidade de espetáculo

O conteúdo apenas, geralmente, não é suficiente para conquistar o interesse dos ouvintes. É preciso acrescentar à mensagem alguns ingredientes que tornam a exposição mais atraente. Por exemplo, falar com o semblante mais expressivo; alternar bem o volume da voz e a velocidade da fala, para imprimir um ritmo agradável e instigante; fazer gestos mais largos, sem pressa para voltar com os braços e as mãos à posição de apoio, desde que os movimentos não sejam exagerados.

Se for possível, ajuda bastante, de vez em quando, se movimentar de um lado para outro da sala. Esse movimento pode quebrar o foco de atenção viciado e elevar o nível de atenção. Esse tempero adicional poderá tornar a apresentação mais envolvente e motivar os ouvintes a acompanhar a linha de raciocínio por tempo mais prolongado.

Usar recursos visuais de forma moderada

Os recursos visuais devem atingir três objetivos essenciais: destacar as informações relevantes, facilitar o acompanhamento do raciocínio e permitir que os ouvintes se lembrem de mais informações por tempo mais prolongado. Se um desses objetivos não puder ser atingido, o visual deve ser eliminado.

Os visuais, de maneira geral, dão um bom espetáculo à apresentação. Ao projetar determinada informação, a atenção do ouvinte que estava em você volta-se para a tela. Em seguida, você poderá mudar o rumo da conversa e trazer a atenção de volta para a sua exposição. A apresentação se torna dinâmica e interessante.

Tome cuidado, todavia, para não tentar pôr nos slides todas as informações. Se por um lado, um número grande de informações dá tranquilidade e segurança a quem fala em público, já que terá na tela todos os dados de que precisa, por outro, acaba escravizando e limitando o orador.

Uma dica. Se a sua apresentação estiver planejada com o apoio de 50 telas, por exemplo, procure estudar um meio de reduzir essa quantidade para 15 ou 20. Dessa forma, você ainda poderá contar com o apoio dos visuais, mas terá um pouco mais de liberdade para interagir com os ouvintes.

Criar expectativa e revelar os benefícios dos ouvintes

As pessoas só ficarão atentas à mensagem se perceberem com clareza quais os benefícios que terão. Por isso, dedique boa parte do início da apresentação para dizer as vantagens que os ouvintes terão com as informações que serão transmitidas. Dinheiro, segurança, conhecimento, poder, fama, consideração, boas perspectivas sociais e profissionais são alguns desses benefícios.

Se perceberem que serão beneficiados de alguma maneira, ficarão interessados em ouvir o que o orador tem para dizer. Embora essa informação deva ser destacada no início, durante toda a apresentação será preciso lembrar a plateia de que a mensagem a beneficiará.
Além de conquistar a atenção mostrando os benefícios dos ouvintes, é preciso também, praticamente o tempo todo, criar expectativas na plateia. Se as pessoas não tiverem expectativas, dificilmente ficarão interessadas em acompanhar o pensamento do orador.

Contar histórias interessantes

Ao perceber que as pessoas começam a ficar desatentas, interrompa a linha de raciocínio e conte uma história interessante, até sem ligação com o conteúdo da exposição. Essa "novidade" fará com que o pensamento do ouvinte fique tentado a permanecer no ambiente.

Dependendo do momento e do perfil dos ouvintes, você poderá recorrer a uma anedota ou fato bem-humorado. Ou seja, faça tudo o que estiver ao seu alcance para motivar os ouvintes a acompanhar com interesse a sua apresentação.

Esses são alguns recursos poderosos que poderão ajudar a manter a atenção do público. Dependendo da circunstância, você poderá se valer de um ou outro, e, em alguns casos, até de todos ao mesmo tempo. Assim você terá condições de apresentar a sua mensagem com a certeza de que os ouvintes estarão concentrados em suas palavras.

Superdicas da semana:

  • Analise com cuidado quais os benefícios que os ouvintes terão com a sua mensagem
  • Crie expectativa na plateia o tempo todo
  • Ponha espetáculo na sua apresentação
  • Movimente-se diante do público para quebrar a atenção viciada

Livros de minha autoria que ajudam a refletir sobre esse tema: "29 Minutos para Falar Bem em Público", publicado pela Editora Sextante; "Como falar de improviso e outras técnicas de apresentação", "Oratória para advogados", "Assim é que se Fala", "Conquistar e Influenciar para se Dar Bem com as Pessoas" e "Como Falar Corretamente e sem Inibições", publicados pela Editora Saraiva; e "Oratória para líderes religiosos", publicado pela Editora Planeta.

Siga no Instagram - @polito
Siga pelo Facebook - facebook.com/reinaldopolito
Pergunte para saber mais - contatos@polito.com.br

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Reinaldo Polito