ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Empreendedorismo

Anitta conta como usou salário de R$ 600 para virar cantora, e mais 9 dicas

Divulgação
Imagem: Divulgação

Larissa Coldibeli

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte (MG)

05/10/2018 04h00

Depois de ser ovacionada na Universidade de Harvard em abril deste ano, Anitta está cada vez mais à vontade para falar de suas estratégias como empresária.

Nos últimos meses, ela coleciona participações em eventos do mundo corporativo: no Conarh (Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas), no Sadebr (Seminário de Ações Digitais na Educação Brasileira) e, na última semana, no Fire Festival, festival de marketing digital realizado em Belo Horizonte.

Leia também:

Na ocasião, ela falou para um público de cerca de 2.500 empreendedores e profissionais do mercado digital. Contou passagens de sua vida, como o gerenciamento de seu salário de R$ 600 como estagiária da Vale antes de virar cantora famosa.

Assim como muitos empreendedores, ela já achou que não conseguiria. Mas sua visão de mercado a ajudou a chegar ao topo: mais do que um processo puramente criativo, ela disse que faz muitos estudos antes de lançar uma música. Até a estação do ano influencia na criação de uma canção.

Veja abaixo dez dicas empresariais de Anitta.

1) Use cada centavo para investir no seu sonho

Focada, Anitta começou a cantar enquanto era estagiária da Vale e disse que usava tudo que ganhava para investir em sua carreira musical.

“Eu ganhava R$ 600, tinha o cartão alimentação e o vale-transporte, e usava cada centavo para conseguir fazer tudo dar certo como cantora. Meu estágio era quase um suporte para eu conseguir investir na minha carreira. Eu já tinha, não sei como, a imagem de que, para chegar aonde eu queria, precisava de todo um contexto e não só uma música. Comprava roupa, pensava em como fazer, em como divulgar, em ter bailarinas, montar uma equipe, profissionalizar.”

2) Estabeleça um relacionamento com o cliente

Anitta disse que começou ganhando R$ 150 por show e só aumentava o preço depois de ter certeza de que estava dando resultado. E segue assim até hoje.

“No final do show, falava para o meu irmão e sócio perguntar se o contratante havia gostado, se podíamos fazer de novo outro dia e, só na terceira vez, depois de ver que o sucesso não era sorte, a gente subia o preço. Dessa forma, eu nunca tive uma negativa. A gente sempre fez um relacionamento muito forte com o cliente, nunca deixando uma relação só de dinheiro. Foi assim que conseguimos uma clientela fiel e fomos crescendo.”

3) Trabalhe com pessoas diferentes de você

Anitta declarou que gosta de ter em sua equipe pessoas com características diferentes das suas. “Gosto de ter pessoas que façam contraponto comigo. Acho importante escutar os outros profissionais, não adianta eu ter tanta gente na minha equipe e só fazer o que me der na telha.”

Ela afirmou, porém, que em alguns momentos prevalecem sua vontade e sua intuição. Foi o que aconteceu com sua ideia do projeto CheckMate, em que ela lançou um clipe por mês em 2017.

“Visualizei o projeto na minha cabeça enquanto estava no estúdio gravando com os gringos no Brasil. Mandei a ideia para minha equipe, e todo mundo tentou me convencer a não fazer. Faltava um mês para o lançamento, disseram que não daria tempo de capitalizar e, no final, tivemos resultados que a gente nunca imaginou que ia ter”, disse.

4) Internacionalizar é começar do zero

Para Anitta, a internacionalização foi a maior dificuldade de sua carreira. Tanto que, em determinado momento, achou que não conseguiria. Ela recomenda que, ao entrar em uma negociação no exterior, é necessário pensar com a cabeça do outro, refletir por que é importante para ele se associar a você.

“É preciso ter em mente que, quando você começa em outro mercado, começou do zero de novo. Não pode querer chegar a outro país, com outra cultura, com a mesma forma de trabalhar, as mesmas estratégias e o mesmo posicionamento que tem no mercado que já conquistou. Tem de regredir e começar do zero, como no início. Essa é a parte difícil.”

5) Avalie os resultados

Ela afirmou que conquistar outros mercados se trata mais de uma realização pessoal do que busca por resultados maiores.

“Nosso país é uma preciosidade, e a gente não dá valor. Nós somos muitos, temos números impressionantes e resultados inacreditáveis. Se você comparar o resultado de qualquer artista ou produto de fora do Brasil que não esteja no mercado brasileiro, serão números iguais aos daqui por mais que esteja em todos os outros mercados. Lá fora existe gente que se mata para conseguir o que um grande produto alcança aqui dentro.”

6) Selecione pessoas pelo seu potencial

Anitta emprega 50 pessoas diretamente e disse que não privilegia graduações ou diplomas -exceto em funções que exigem conhecimento técnico, como financeiro e advogado.

“Não tenho isso de procurar alguém qualificado especificamente naquilo, a não ser que seja um advogado, obviamente. Sempre procuro alguém em que eu veja potencial e não só graduação, diploma etc. Eu vejo se as características de trabalho, de força de vontade e dedicação combinam com o que eu gosto. Aprender acaba virando o de menos, se a pessoa é dedicada.”

Ela exemplifica contando a história de uma bailarina que virou sua produtora pessoal e disse que já empregou até uma fã muito dedicada. “Ficava curiosa para saber como ela conseguia descobrir onde eu estava, que hora eu ia comer, do que eu gostava... ela sabia de tudo numa época em que era mais difícil saber. Pensei: quero usar esse talento para o meu bem, para o meu trabalho. Então fui qualificando essa pessoa”, afirmou.

7) Planeje e pesquise o mercado antes de fazer um lançamento

Anitta disse que, para criar uma música nova, não pensa só na canção. Seu processo criativo envolve planejamento e pesquisa de mercado.

“Hoje em dia, para lançar uma música, a gente pensa no meu momento atual, no momento do país, em como as pessoas estão consumindo, a estação do ano -porque muda um pouco o tipo de coisa que a pessoa faz, o entretenimento muda, então, a música tem de mudar também-, o custo de mídia, o quanto as pessoas estão ligadas no que você faz ou se estão ligadas em outra coisa. Tem que fazer todo um estudo para chegar a uma música. Não é só ter uma ideia e vai, é todo um contexto.”

Ela leva tão a sério essa pesquisa de mercado que já cancelou lançamentos mesmo com tudo pronto e dinheiro investido. “Já houve casos em que eu tinha tudo preparado para um lançamento, a gente preparou com três meses de antecedência, e, um mês antes, lançaram uma música com tema similar. Aí a gente cancelou tudo, já tinha investido. E aconteceu com clipe também.”

8) Não seja previsível

A cantora não acredita em estratégias definitivas de sucesso.

“Existe o que é melhor para você neste momento. O que funciona para mim hoje, com o alcance que eu tenho, não vai ser a melhor estratégia para quem está começando agora e tem outro tipo de público. Cada caso é um caso, e estratégias têm que mudar conforme seu produto muda. Não é porque uma estratégia deu muito certo da última vez que vai continuar funcionando, inclusive porque ser previsível é coisa que a internet não perdoa. Usar estratégia igual ou parecida não vai levar a resultados maiores, só a resultados parecidos ou até menores.”

9) Não mire exemplos

Para Anitta, as pessoas hoje em dia se pautam muito em exemplos que deram certo, mas, ao fazer isso, sofrem limites.

“Sempre que vou fazer alguma coisa, nunca busco um caminho que alguém já tenha feito, ou que todo mundo sabe que está dando certo, ou vejo o trabalho de outra pessoa para comparar. A gente precisa ser autêntica no que faz. E para conseguir resultado grande e diferente, a gente precisa criar a nossa maneira. Às vezes, a gente tem de começar pelas coisas mais simples.”

10) Corra riscos calculados

Anitta afirmou que cresceu acompanhando as experiências do pai como empresário -ele tinha uma loja de baterias de carro. Além de ter aprendido a ser vendedora com ele, Anitta disse que entendeu o que não fazer nos negócios.

“Meu pai arriscou muito alto e não teve a sorte de ter retorno. As coisas pelas quais ele passou foram uma experiência. Eu adoro arriscar, mas sem me prejudicar. Gosto de tentar coisas novas, mas sabendo o que consigo alcançar. Meu pai é imediatista, impulsivo, e eu tento ser o mais cautelosa possível”, declarou.

Cinco vezes em que Anitta provou que é "gente como a gente"

UOL Entretenimento

Mais Empreendedorismo