PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Administradora de shoppings e distribuidora de energia impactam a Bolsa

Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

12/03/2021 08h48

No Investigando o Mercado de hoje, vou analisar o momento de duas empresas que divulgaram os resultados referentes ao quarto trimestre de 2020 ontem (12/03) após o fechamento do mercado: a distribuidora de energia Energisa (ENGI11) e a administradora de shoppings BR Malls (BRML3).

Antes das análises, vale destacar a forte reação no mercado das empresas que analisamos ontem. O mercado gostou do que viu no resultado da Sinqia. As ações da empresa de software (SQIA3) fecharam em alta de 5,28%. A administradora de shoppings Aliansce Sonae (ALSO3) teve valorização ainda maior: 6,90%.

O UOL Economia tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Belivacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os leitores de UOL Economia+. Conheça os recursos do serviço de orientação financeira UOL Economia+, para quem quer investir melhor.

Resultado da Energisa (ENGI11)

A Energisa (ENGI11) apresentou um resultado acima do esperado e marcado por forte recuperação operacional. A Energisa é a 5ª maior distribuidora de energia elétrica do Brasil e está presente em 11 estados.

Sua receita operacional líquida no trimestre cresceu 25,2% sobre o mesmo período de 2019 e, com isso, somou R$ 5,6 bilhões.

A alta ocorreu em virtude da recuperação das vendas da companhia, com crescimento de 5,2% no volume de distribuição de energia no trimestre.

Em relação ao lucro líquido não ajustado, houve um crescimento de 87,2% na comparação com o mesmo período, alcançando R$ 313,3 milhões no último trimestre de 2020.

Esperamos impacto positivo no preço das ações ENGI11 para o curto prazo.

Resultado da BRMalls (BRML3)

Apesar da contração observada na maior parte das linhas do resultado, a BR (BRML3) apresentou resultados superiores às expectativas, sinalizando a resiliência de sua operação.

Sua receita líquida foi de R$ 266,7 milhões no quarto trimestre de 2020, o que representa uma contração de 23,8% na comparação com o mesmo período de 2019.

As despesas operacionais cresceram 13,9% na comparação, com R$ 68,2 milhões. Com uma receita menor e um custo maior, o lucro ajustado caiu 63,7%, totalizando R$ 62 milhões no trimestre.

Apesar dos desafios impostos pela pandemia, consideramos os resultados positivos. Eles sinalizam uma retomada de atividade em ritmo adequado até o último trimestre de 2020. Em particular, os números operacionais demonstram melhores taxas de ocupação e de vendas dos lojistas. Por isso, espero uma reação positiva das ações BRML3 ao longo do dia.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL