PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Como investir para ter dinheiro pingando na conta todo mês?

Renda passiva: veja onde aplicar o seu dinheiro para ter depósito extra em sua conta de tempos em tempos - IltonRogerio/iStock
Renda passiva: veja onde aplicar o seu dinheiro para ter depósito extra em sua conta de tempos em tempos Imagem: IltonRogerio/iStock
só para assinantes

Colaboração para o UOL, em São Paulo

24/07/2022 04h00

Quem investe quer ter lucro, claro. E que tal ter uma grana, fruto das suas aplicações, caindo na sua conta todo mês? No Papo com Especialista, programa ao vivo do UOL, a planejadora financeira Vivian Rodrigues diz que existem duas formas de renda passiva e mostra quais investimentos são mais indicados para isso.

"A renda passiva é um desejo, em geral de todo mundo, mas tem algumas particularidades", afirma.

Leia abaixo a análise da planejadora financeira e assista ao programa completo do dia 7 de julho, que é um tira-dúvidas sobre investimentos exclusivo para assinantes e transmitido semanalmente, às quintas-feiras, das 16h às 17h.

O que é a renda passiva

Vivian diz que a renda das suas aplicações é aquele dinheiro que está aumentando todos os meses, independentemente do investimento em si. "Esse valor que aumenta todos os dias, todos os meses ou, em alguns casos, de tempos em tempos, é a renda dos nossos investimentos."

Renda passiva é aquele dinheiro que trabalha para você mesmo. "Você colocou aquele dinheiro lá, seguiu sua vida, e o dinheiro está caindo na conta. Mas existem algumas formas de ver essa renda acontecer", declara.

Quais as formas de ter renda passiva? Segundo Vivian, há duas formas de ter a renda passiva: o valor cai na sua conta ou o valor é acrescido mensalmente ao seu patrimônio.

Em alguns investimentos, o valor a mais que rendeu cai na sua conta, "como se fosse um depósito extra". "Isso faz com que pareça que, todos os meses, você está recebendo um valor extra", diz.

Mas, em outros investimentos, ele não acontece como um depósito independente. "O valor que você tinha simplesmente aumenta um pouquinho. Então, a gente tem menos essa sensação de que você está recebendo a cada mês. Mas, de qualquer forma, é uma renda que você pode contar com ela", afirma.

O que analisar antes de investir? Segundo ela, antes de escolher o produto, você deve fazer algumas análises: qual objetivo do dinheiro e qual o seu perfil de investidor. "É preciso entender qual o melhor investimento para o seu momento financeiro", declara.

Por exemplo: se você pensa na aposentadoria, buscar investimentos que são atrelados à inflação é sempre uma ótima opção, diz Vivian, pois você consegue proteger o seu poder de compra ao longo dos anos.

Para a reserva financeira, Vivian diz que você precisa buscar investimentos mais conservadores, que tenham liquidez e pouca volatilidade.

Quais os melhores investimentos para ter renda mensal? Veja abaixo alguns investimentos que permitem renda mensal caindo na conta:

  • Todos os títulos públicos ou privados que pagam juros semestrais, trimestrais ou mensais
  • Ações com pagamento de dividendos
  • Fundos imobiliários

"São produtos que a gente tem a sensação de renda caindo todo mês um pouquinho na conta. Mas é preciso lembrar que, mesmo que o dinheiro não caia como um depósito extra, se o valor está aumentando nos seus investimentos, de certa forma é uma renda também", declara.

Há investimentos de baixo risco com renda mensal? Existem muitas opções. "Pensando nesse produto que vai ter um depósito mensal na conta, as melhores opções com baixo risco são os títulos do Tesouro Direto e os títulos privados com pagamentos periódicos. É importante sempre você fazer uma análise que aquela rentabilidade é referente a um período específico", afirma.

Já para a renda mensal que é acrescida ao seu patrimônio e sem fazer retiradas periódicas de dinheiro, Vivian diz que há mais opções de investimento. "Qualquer investimento com rentabilidade combinada vai ter essa renda mensal, como os títulos prefixados. São títulos que você consegue saber, no momento da compra, exatamente quanto você vai receber a cada mês, a cada ano, por qual período", diz.

Outra opção são os títulos pós-fixados, que são indexados a algum indicador (CDI, IPCA, etc. Ou seja, vai render o indicador mais uma taxa prefixada.

"Ao investir em qualquer um desses produtos, você vai ver todos os meses esse valor aumentando. Mas não necessariamente ele vai cair como um depósito extra na sua conta", declara.

Vivian diz que isso vale também para os fundos de investimento. "Mas aí você já não tem um acordo prévio de rentabilidade, de quanto você vai ganhar a cada mês. Não há garantia quanto à rentabilidade", diz.

Tenho R$ 50 mil para aplicar: será qual a renda mensal? "Uma rentabilidade garantida por muito tempo não existe", declara Vivian. Segundo ela, é preciso entender os horizontes de prazos, os riscos que estão atrelados a cada um desses investimentos, o tipo de aplicação que está sendo feita. Não há uma resposta pronta que funcione para todos os perfis de investidor e para todos os momentos do nosso cenário econômico.

Por exemplo: investir R$ 50 mil em títulos atrelados à taxa Selic (hoje está em 13,25% ao ano), como títulos do Tesouro Selic ou CDBs, você teria uma rentabilidade de um pouco mais que R$ 500 por mês. "Mas não dá para fazer uma projeção considerando uma taxa Selic alta, como a atual, e desconsiderando toda a inflação dentro desse contexto. A minha sugestão de uso é sempre essa referência de 4% acima da inflação."

Ela diz que é preciso ter cuidado com projeções que não consideram a inflação e que consideram taxas não factíveis ao longo de muitos anos consecutivos.

É possível ter renda mensal permanente? Vivian diz que, quando você pensa em retirar um valor permanente dos seus investimentos, é preciso fazer essas retiradas mensais considerando a inflação, para acompanhar o seu poder de compra.

Por exemplo: se hoje você tira R$ 1.000 de renda mensal, daqui a dez anos, você precisará tirar o dobro (R$ 2.000), com base na inflação histórica do país. "A cada dez anos, o valor que você precisa irá dobrar, simplesmente para manter o seu poder de compra", diz ela.

Pensando na renda mensal permanente, é preciso tomar cuidado com a questão da inflação, segundo a planejadora financeira.

Vivian diz que a pergunta que você deve fazer é: "Qual o valor que eu posso tirar com base nessa rentabilidade e qual o prazo que eu tenho para esses investimentos?".

"Para ter uma renda mensal permanente, o ideal é fazer retirada da renda passiva real. Ou seja, o que aquele dinheiro está rendendo todos os meses acima da inflação. É essa regra para essa renda seguir permanente tanto nas retiradas como no poder de compra em si", declara.

Papo com Especialista é semanal

O programa Papo com Especialista é transmitido às quintas-feiras, semanalmente, das 16h às 17h, na página inicial do UOL, no UOL Economia e no UOL Investimentos, e é exclusivo para assinantes. Reveja programas anteriores aqui.

Você pode enviar perguntas ao Papo pelo email uoleconomiafinancas@uol.com.br —elas podem ser respondidas no programa.

Quer investir melhor? Receba dicas em seu email

Você quer aprender a ganhar dinheiro com segurança em investimentos no curto, médio e longo prazo, mesmo que nunca tenha investido?

A página de investimentos do UOL tem uma newsletter gratuita que o ajuda nesse objetivo. Ao assinar, você recebe todos os dias, antes da abertura da Bolsa, uma análise do mercado feita pelo analista Rafael Bevilacqua, da casa Levante Ideias de Investimentos. Com essa newsletter, você vai aprender a investir e entender o que está acontecendo com o mercado.

Além da newsletter diária, você também recebe, semanalmente, uma análise sobre investimentos, com dicas sobre como aplicar melhor e com segurança seu dinheiro. Para assinar a newsletter gratuita de investimentos do UOL, é só clicar aqui.

Tem dúvidas sobre ações, fundos e outros investimentos da Bolsa? Envie sua pergunta para uoleconomiafinancas@uol.com.br.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.