Só para assinantesAssine UOL

Por que investir na reserva financeira, mesmo com muitas dívidas?

Não é porque você está endividado (e tentando sair das dívidas), que a reserva financeira deve ser deixada de lado. Muito pelo contrário: Ficar sem reserva pode piorar seu problema.

Entenda por que ela tem um papel fundamental neste seu cenário. "Imprevistos podem acontecer, e ter uma reserva financeira vai te ajudar a não entrar novamente nesse ciclo de dívidas", declara a planejadora financeira Lueny Santos, no Papo com Especialista, programa ao vivo do UOL.

Essa matéria é um trecho do segundo aulão da série "De endividado a investidor: como se livrar das dívidas e guardar mais dinheiro". O aulão foi ao ar em 5 de outubro. Veja a live completa aqui. Foram três lives ao vivo, e assinantes podem rever as aulas quantas vezes quiserem.

Assista ao aulão no Papo com Especialista, programa ao vivo do UOL, todas as quintas-feiras, das 16h às 16h40. Assine aqui e participe!

A última série do Papo com Especialista foi sobre como se aposentar sem depender do INSS. Para saber mais, acesse "Como se aposentar sem depender do INSS e por que começar a investir já".

Quitar dívidas ou montar sua reserva financeira?

Quitar as dívidas ou investir? Para quem já tomou a decisão de olhar para a própria situação financeira, ajustou o seu padrão de vida, definiu o que de fato é prioridade e conseguiu desenhar um plano de ação, provavelmente você deve ter feito um questionamento: Começo quitando as dívidas ou fazendo uma reserva financeira?

Ficar sem reserva pode piorar seu problema. Ela diz que, geralmente, quando uma pessoa está inadimplente, um dos primeiros movimentos é querer quitar as dívidas, parar de pagar juros o mais rápido possível e, assim, limpar o nome. Para que você consiga desenhar uma estratégia para quitar suas dívidas, ter a reserva financeira vai garantir que esse plano de ação que você desenhou aconteça, caso surja algum imprevisto.

Continua após a publicidade

Vale lembrar que imprevistos podem acontecer no meio do caminho, e ter uma reserva financeira vai te ajudar a não entrar novamente nesse ciclo de dívidas.
Lueny Santos, planejadora financeira

Quais são as opções de investimentos para a reserva?

De dívidas à reserva financeira. Em um cenário de endividamento, primeiro você olha para o seu orçamento, desenha uma estratégia para fechar o seu mês e consegue ter um valor para guardar para a sua reserva, antes de começar a quitar essas dívidas. Ou seja, você precisa saber quanto dinheiro consegue ter sobrando todos os meses para investir e pagar as dívidas. Isso serve para garantir que você consiga seguir o seu plano de quitação de dívidas, caso algum imprevisto aconteça, segundo Lueny.

Liquidez diária e segurança. Os produtos adequados para a reserva financeira devem ter liquidez diária (resgatar o dinheiro a qualquer momento) e segurança (com baixa volatilidade), onde você não vai ter surpresas com o valor investido.

Existem três opções de produtos:

1) Tesouro Selic. Você vai emprestar dinheiro para o governo. O Tesouro Selic tem rentabilidade atrelada à taxa Selic e uma parte prefixada. É um produto que tem data de vencimento (é quando o dinheiro vai cair na sua conta, caso você não precise dele antes, mas você consegue resgatar a qualquer momento).

Continua após a publicidade

Na plataforma do Tesouro Direto, estão disponíveis dois títulos do Tesouro Selic, com vencimentos em 2026 e 2029. O investimento mínimo é de cerca de R$ 138. Vale ressaltar que as condições de investimentos citadas aqui são referentes ao dia 5 de outubro. As taxas podem variar de um dia para o outro.

2) CDB de liquidez diária. Você vai emprestar dinheiro para o banco. Hoje, a maioria dos bancos (até os digitais) disponibiliza esse produto, e a rentabilidade esperada é de 100% do CDI, no mínimo. O CDI é baseado na taxa Selic.

3) Fundos de renda fixa simples. Você vai terceirizar a escolha dos ativos para uma equipe especializada. A principal diferença em relação ao Tesouro Selic e CDB é que a rentabilidade não é fixa, você não tem uma data de vencimento do fundo e o seu aporte de todo mês vai sempre para o mesmo lugar —diferente dos títulos, que, a cada aplicação, você tem um novo contrato, um novo título.

O ponto importante é entender quais são as características que mais te deixam seguro, para você conseguir investir na sua reserva em um produto que faça sentido para você.

Quer saber como economizar e investir, além do que está acontecendo na economia? Conheça e siga o novo canal do UOL "Economize e Invista" no WhatsApp.

Aulão: De endividado a investidor: como sair das dívidas e ter mais dinheiro

Dívidas são um dos principais obstáculos para quem quer organizar sua vida financeira. Pensando nisso, o UOL preparou um aulão para quem quer se livrar das dívidas para sempre e ter mais dinheiro para investir e realizar seus sonhos.

Continua após a publicidade

Qual a melhor estratégia para se livrar das dívidas? Dá para começar a investir mesmo endividado? E qual é o melhor investimento para iniciantes? Todas essas perguntas serão respondidas em uma série de três lives.

A primeira live traz o passo a passo para se livrar das dívidas. A segunda live mostra onde e como começar a investir mesmo estando endividado, e a terceira fala sobre como investir para realizar seus sonhos, após sair das dívidas.

Assista ao aulão no Papo com Especialista, programa ao vivo do UOL, todas as quintas-feiras, das 16h às 16h40. Assine aqui e participe!

A última série do Papo com Especialista foi sobre Como investir para se aposentar sem depender do INSS. Para saber mais, acesse este link .

Quer investir melhor? Receba dicas no seu email

Você quer aprender a ganhar dinheiro com segurança em investimentos no curto, médio e longo prazo, mesmo que nunca tenha investido? O UOL tem uma newsletter diária gratuita que o ajuda nesse objetivo. Assine o Por Dentro da Bolsa aqui. Você recebe todos os dias, antes da abertura da Bolsa, uma análise do mercado feita pela equipe do PagBank Investimentos para aprender a investir melhor.

Continua após a publicidade

Você também recebe, semanalmente, uma análise sobre investimentos, com dicas sobre como aplicar melhor o seu dinheiro. Para assinar a newsletter gratuita de investimentos do UOL, é só clicar aqui. UOL Investimentos ainda tem diversos conteúdos diários que te ajudam a lidar melhor com seu dinheiro.

Tem dúvidas sobre ações, fundos e outros investimentos da Bolsa? Envie sua pergunta para uoleconomiafinancas@uol.com.br.

Este material não é um relatório de análise, recomendação de investimento ou oferta de valor mobiliário. Este conteúdo é de responsabilidade do corpo jornalístico do UOL Economia, que possui liberdade editorial. Quaisquer opiniões de especialistas credenciados eventualmente utilizadas como amparo à matéria refletem exclusivamente as opiniões pessoais desses especialistas e foram elaboradas de forma independente do Universo Online S.A.. Este material tem objetivo informativo e não tem a finalidade de assegurar a existência de garantia de resultados futuros ou a isenção de riscos. Os produtos de investimentos mencionados podem não ser adequados para todos os perfis de investidores, sendo importante o preenchimento do questionário de suitability para identificação de produtos adequados ao seu perfil, bem como a consulta de especialistas de confiança antes de qualquer investimento. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura e não está isenta de tributação. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, a depender de condições de mercado, podendo resultar em perdas. O Universo Online S.A. se exime de toda e qualquer responsabilidade por eventuais prejuízos que venham a decorrer da utilização deste material.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes