Bolsas

Câmbio

Empreendedorismo

Engenheiro troca mecânica por esfiha e revitaliza casa famosa da Mooca

Afonso Ferreira

Do UOL, em São Paulo (SP)

Em cinco anos, a Esfiha Juventus, tradicional restaurante árabe no bairro da Mooca, em São Paulo (SP), aumentou seu faturamento em cinco vezes. A receita mensal, que em 2008 era de R$ 100 mil, saltou para R$ 600 mil atualmente.

O responsável pelo crescimento do negócio não é um administrador, mas sim um engenheiro mecânico: Celso Abrahão, 50. Filho de Tamer Abrahão, fundador do restaurante, o engenheiro largou a profissão, em 2008, para comandar o negócio da família a convite da mãe e do irmão.

"Tive dúvidas sobre largar minha carreira. Era uma área nova para mim e, principalmente, era a empresa da minha família. Não poderia falhar em nada", afirma Celso.

Tamer Abrahão era filho de imigrantes sírios e fundou a Esfiha Juventus em 1967. Segundo Celso, o pai sempre foi muito atuante no negócio. Era ele quem criava as receitas e supervisionava o atendimento.

Agora empresário, Celso diz que, com a morte do pai, em 1998, a Esfiha Juventus praticamente parou no tempo. Não havia sistema de delivery, não eram aceitos pagamentos com cartões de débito ou crédito e os funcionários sequer utilizavam uniformes.

"Nosso carro-chefe sempre foi a esfiha. Sem o serviço de entrega, perdíamos muitas vendas em dias frios ou chuvosos", declara. Hoje, o serviço representa em torno de 30% das vendas de esfihas. Por dia são vendidas 2.800 unidades. O preço varia de R$ 3,20 a R$ 4,20, dependendo do sabor.

Nos dez anos entre a morte do pai e sua entrada no negócio, o empresário afirma que o restaurante foi administrado por gerentes contratados. O problema, segundo Celso, é que eles tinham receio de implantar mudanças justamente por ser um estabelecimento antigo no bairro.

"Nesse período, houve um distanciamento dos clientes. Minha mãe e meu irmão me chamaram porque eu poderia trazer ideias novas para o negócio e reaproximá-lo da clientela", diz.

Restaurante parecia feira, diz empresário

Celso afirma que ficou assustado com a gritaria dos funcionários dentro do restaurante quando assumiu a gestão do negócio. Os pedidos eram anotados em um papel e os garçons gritavam do salão para a cozinha. "Parecia uma feira", declara.

Uma das primeiras mudanças implantadas foi a adoção de "palmtops" –computadores de mão– para anotar os pedidos. "Agora, o garçom anota o pedido e, imediatamente, o pessoal da cozinha fica sabendo. O serviço todo foi informatizado", diz o empresário.

Posteriormente, os funcionários receberam uniformes, foi implantado o serviço de delivery e a empresa passou a aceitar pagamentos com cartão de crédito e débito.

No ambiente, foram instalados televisores e aparelhos de DVD para dar mais conforto aos clientes. Ao todo, segundo o empresário, foi investido R$ 1 milhão para melhorias no negócio nos últimos cinco anos.

"Penso que essas mudanças seriam implantadas mesmo sem a minha chegada, mas, sinto-me realizado por acelerar o processo e contribuir para o crescimento da empresa", declara.

De acordo com Celso, a Esfiha Juventus estuda a possibilidade de expansão por meio de franquias. No entanto, não há prazo para que sejam abertas novas unidades.

Assumir negócio familiar exige cuidado

Para o consultor especializado em empresas familiares Domingos Ricca, a decisão de abandonar uma carreira para cuidar do negócio da família não pode ser tomada por impulso.

É fundamental, segundo Ricca, que esse empreendedor conheça os problemas internos que levaram a empresa da família a perder espaço no mercado.

"Geralmente, as deficiências do negócio são causadas por acomodação dos antecessores ou por brigas de poder. Quem assume o controle precisa ter liderança, tomar decisões e dar o exemplo", afirma.

Além disso, o consultor diz que é importante ter uma poupança para se manter por, pelo menos, um ano, caso o empreendedor não consiga elevar o lucro da empresa.

"Largar o emprego para assumir o negócio da família envolve riscos. Por isso, o empreendedor precisa estar preparado caso a empresa não obtenha o sucesso desejado", declara.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos