ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Empreendedorismo

Mineiras importam chá com bolinhas de Taiwan e criam franquia

Afonso Ferreira

Do UOL, em São Paulo (SP)

13/01/2014 06h00

Originário de Taiwan, na Ásia, o “bubble tea” (chá com bolinhas) é a aposta de negócio da empresária Luiza Leite, 54, e de suas filhas Isabel, 31, e Íris Ramadas, 25. As três são sócias da franquia IS Bubble Tea.

O nome em inglês é uma referência a bolinhas. A bebida, feita de chá verde ou preto batido com fruta ou leite, leva bolinhas com suco concentrado ou feitas com farinha de mandioca que estouram quando mastigadas.

Segundo a empresa, o investimento para abrir um quiosque é a partir de R$ 160 mil, inclusos instalação, taxa de franquia e capital de giro. O faturamento médio mensal é de R$ 40 mil, com margem de lucro líquido de 30% (R$ 12 mil).

No entanto, de acordo com a ABF (Associação Brasileira de Franchising), a margem de lucro do setor varia de 10% a 15%, podendo chegar a 20% em alguns casos.

No caso da IS Bubble Tea, por ser uma franquia que atua em quiosque, segundo André Friedheim, diretor de relações internacionais da ABF e consultor da Francap, a margem de lucro pode chegar a 30%. Ele diz que esse tipo de locação é mais barato do que o de uma loja fixa.

Friedheim também afirma que, quando a rede trabalha com mais de um produto (chá e iogurte frozen, no caso da IS Bubble Tea) o lucro tende a ser maior.

Primeira unidade foi aberta em Minas Gerais

A empresária trouxe a marca para o Brasil em novembro de 2012, quando abriu a primeira loja em Belo Horizonte (MG). Na época, segundo ela, o intuito já era franquear o negócio.

Em pouco mais de um ano, elas já investiram cerca de R$ 2 milhões na ampliação da rede, segundo Leite. Ao todo, a franquia conta com 11 unidades no país.

O recurso para investir na empresa veio de um outro negócio, segundo Leite. Ela também é proprietária da franquia IS Frozen, que vende iogurte frozen.

Atualmente, das 11 unidades da rede, dez são da marca IS Bubble Tea e apenas uma da IS Frozen. Até o final de 2014, as duas marcas serão integradas e passarão a atuar com as duas bandeiras, de acordo com a empresária.

Os sabores do “bubble tea” são variados. O cliente escolhe o tipo de chá (preto ou verde) e o combina com leite ou frutas como abacaxi, blueberry (mirtilo), lichia, limão maracujá e morango.

Depois, acrescenta-se as cápsulas com suco ou pérolas (bolinhas) de mandioca. A bebida pode ser consumida quente ou gelada. O preço é R$ 8,90 o copo.

Ideia de negócio surgiu em viagem à Alemanha

Leite conheceu o “bubble tea” em uma viagem que fez com as filhas para a Alemanha, em 2012. A empresária diz que as três ficaram interessadas na bebida imediatamente e começaram a pesquisar sobre o produto.

“Ao descobrirmos que o ‘bubble tea’ era originário de Taiwan, fomos até lá para fazer contato com fornecedores e entender como ele era feito. Na época, já estávamos atrás de algo que complementasse a venda do iogurte frozen”, declara.

Por já ter um modelo de franquia formatado, bastou apenas fazer algumas adaptações para incluir o “bubble tea” no negócio. A partir daí, as lojas, que já vendiam o iogurte frozen, passaram a vender o chá de Taiwan.

Produto diferente corre risco de ser modismo

De acordo com Ana Vecchi, sócia da consultoria Vecchi Ancona, todo produto que chega ao mercado tem um período de vendas altas no início, seguido de uma queda brusca e, por fim, estabilização no mercado.

É nesse momento, segundo ela, que um produto se firma como tendência ou como moda passageira. A estratégia de expansão da empresa é o que vai definir se um negócio é modismo ou não.

“Se o preço e a qualidade do produto não forem adequados, assim como a localização das lojas e o atendimento ao cliente, o negócio tende a perder espaço”, declara.

Clima e apelo saudável favorecem negócio no país

O Brasil, por ser um país de clima tropical, favorece a implantação de negócios de bebidas geladas, como o “bubble tea”, segundo Vecchi.

“A bebida também tem um apelo saudável por ter baixo teor calórico, conceito que tem ganhado espaço no mercado brasileiro”, afirma.

Segundo Leite, um copo de 500 ml tem menos de cem calorias.

No entanto, a consultora diz que a aceitação do chá de Taiwan pode ser diferente, dependendo da região onde o negócio for implantado.

“A bebida tem mais ligação com cidades litorâneas, do Norte e Nordeste, que são mais quentes. Já em regiões mais frias, a aceitação pode ser menor, apesar de poder ser consumida quente”, diz.

Cuidados ao escolher uma franquia

Tempo de mercadoVerifique há quanto tempo a rede atua no mercado. Se a franquia for nova, veja o número de unidades próprias. É por meio delas que a franqueadora adquire experiência e conhecimento da área que irá transmitir aos franqueados
Pesquisa com franqueadosAs redes são obrigadas a apresentar a COF (Circular de Oferta de Franquia) para os interessados. O documento deve indicar endereço, nome e telefone de franqueados e ex-franqueados. É importante ligar para o maior número possível para saber sobre investimento, faturamento, tempo de retorno e lucro
FaturamentoDesconfie de número fantásticos. O ideal é avaliar mais de uma franquia do setor que deseja ingressar para ver se os números são similares. Segundo a ABF, o lucro varia de 10% a 15% sobre o faturamento
Prazo de retornoA ABF trabalha com o prazo de retorno de 18 a 24 meses para microfranquias, que exigem um investimento mais baixo, e de 36 meses para franquias, que necessitam de investimento maior
Assinatura de contratoO negócio só pode ser fechado após o prazo de 10 dias da entrega da COF. O objetivo é evitar a assinatura por impulso. A COF informa o número de franqueados ativos e inativos (nos últimos 12 meses), com telefone, ações judiciais contra a empresa e estimativa de investimento, faturamento etc.

Mais Empreendedorismo