PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Como escolher uma previdência privada para não perder dinheiro

VGBL ou PGBL? Regime de tributação progressiva ou regressiva? Veja como escolher sua previdência privada - Caio Borges
VGBL ou PGBL? Regime de tributação progressiva ou regressiva? Veja como escolher sua previdência privada Imagem: Caio Borges
só para assinantes

Colaboração para o UOL, em São Paulo

12/07/2022 04h00

Você sabe qual plano escolher na hora de investir na previdência privada complementar? No Papo com Especialista, programa ao vivo do UOL, a planejadora financeira Vivian Rodrigues fala sobre a diferença entre VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) e PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre). A tributação é peça-chave nessa escolha.

Leia a explicação dela e assista abaixo ao trecho do programa. O Papo com Especialista é um tira-dúvidas sobre investimentos exclusivo para assinantes e é transmitido semanalmente, às quintas-feiras, das 15h às 16h.

Tributação é a principal diferença

Existem dois tipos de planos de previdência privada: VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) e PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), sendo que a principal diferença é a cobrança de imposto de renda.

"Ao contratar a previdência privada, independente de ela ser mais conservadora ou mais arrojada, você precisa escolher se ela será um plano PGBL ou VGBL. No VGBL, você só irá pagar o Imposto de Renda sobre a rentabilidade. Já no plano PGBL, você paga o imposto em cima do valor total do fundo", afirma.

Escolher uma opção errada, não adaptada ao seu perfil, pode fazer você perder dinheiro. Entenda melhor esse risco aqui.

Pago imposto só lá na frente

No entanto, diz ela, a previdência privada PGBL dá a opção de fazer um abatimento do Imposto de Renda no ano em que você fez o aporte do dinheiro. Ou seja, no ano em que você coloca dinheiro na previdência PGBL, em cima do valor, você deixa de pagar Imposto de Renda na declaração.

"Você vai pagar esse imposto lá na frente, no momento do resgate do dinheiro. Não é que você deixa de pagar imposto; você está apenas transferindo isso do ano em que fez o aporte para o ano em que você fará o resgate", diz.

Para usar esse benefício fiscal, é preciso cumprir alguns requisitos, como contribuir com a Previdência Social, do INSS, e fazer a declaração completa de Imposto de Renda. Existe o limite de até 12% da renda tributável.

"Se você fizer um aporte anual na previdência de um valor acima de 12% da sua renda tributável, não vale investir tudo em PGBL; melhor dividir os valores entre um plano PGBL e outro VGBL. Também não compensa fazer PGBL se você fizer a declaração simples do Imposto de Renda. Portanto, é preciso avaliar qual dos planos se encaixa melhor no seu perfil tributário do momento e de investidor", afirma.

Segundo ela, não é possível trocar um plano PGBL por um VGBL, após a contratação da previdência privada. "Não há opção de fazer essa troca", declara.

Segunda escolha: progressiva ou regressiva?

Vivian diz que outra escolha que você deve fazer ao contratar uma previdência privada é entre um regime de tributação progressiva ou regressiva.

Progressiva: A alíquota de Imposto de Renda varia de acordo com a sua renda mensal no momento do resgate —varia de zero a 27,5%.

"Segue a mesma tabela no caso de tributação de pessoa física. Para quem recebe até R$ 1.900, está isento do imposto. Para quem recebe acima de R$ 4.664, paga 27,5%. No PGBL, essa alíquota vai ser cobrada em cima do valor total", diz.

Regressiva: A alíquota do Imposto de Renda varia de acordo com o seu tempo de investimento. De 35% (até dois anos de aporte), a alíquota vai diminuindo até 10% (acima de dez anos de aporte). "Aqui, se você investiu na previdência e retira o dinheiro total ou parcial após dois anos, você vai pagar 35% de imposto. A alíquota diminui 5% a cada dois anos, até chegar à alíquota de 10% para quem só resgata após dez anos", diz.

Segundo Vivian, se você optou por um regime de tributação progressiva, tem a opção de transformá-la em regressiva. "É possível fazer uma portabilidade e uma alteração dessa tabela", afirma.

Papo com Especialista é semanal

O programa Papo com Especialista é transmitido às quintas-feiras, semanalmente, das 15h às 16h, na página inicial do UOL, no UOL Economia e no UOL Investimentos, e é exclusivo para assinantes. Reveja programas anteriores aqui.

Você pode enviar perguntas ao Papo pelo email uoleconomiafinancas@uol.com.br —elas podem ser respondidas no programa.

Quer investir melhor? Receba dicas em seu email

Você quer aprender a ganhar dinheiro com segurança em investimentos no curto, médio e longo prazo, mesmo que nunca tenha investido?

A página de investimentos do UOL tem uma newsletter gratuita que o ajuda nesse objetivo. Ao assinar, você recebe todos os dias, antes da abertura da Bolsa, uma análise do mercado feita pelo analista Rafael Bevilacqua, da casa Levante Ideias de Investimentos. Com essa newsletter, você vai aprender a investir e entender o que está acontecendo com o mercado.

Além da newsletter diária, você também recebe, semanalmente, uma análise sobre investimentos, com dicas sobre como aplicar melhor e com segurança seu dinheiro. Para assinar a newsletter gratuita de investimentos do UOL, é só clicar aqui.

Tem dúvidas sobre ações, fundos e outros investimentos da Bolsa? Envie sua pergunta para uoleconomiafinancas@uol.com.br.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.