IPCA
0,83 Abr.2024
Topo

ANÁLISE

Juros podem cair: onde investir seu dinheiro agora?

Selic alta ou Selic baixa? Veja se vale fazer movimentações na sua carteira em função dos juros - Koh Sze Kiat/iStock
Selic alta ou Selic baixa? Veja se vale fazer movimentações na sua carteira em função dos juros Imagem: Koh Sze Kiat/iStock

Colaboração para o UOL, em São Paulo

11/07/2023 04h00

Investidores e especialistas do mercado estão com a expectativa de que os juros vão cair nos próximos meses. E agora, onde investir?

Veja se vale a pena trocar os seus investimentos. "Independente se os juros vão começar a cair ou não, você precisa olhar para o prazo do seu projeto, para poder adequar esse prazo ao investimento disponível no mercado", afirma a planejadora financeira Lueny Santos, no Papo com Especialista, programa ao vivo do UOL.

Leia abaixo a análise da planejadora financeira e assista ao programa completo. O Papo com Especialista é um tira-dúvidas sobre investimentos exclusivo para assinantes e é transmitido semanalmente, às quintas-feiras, das 16h às 16h40.

Para também ter sua dúvida respondida no programa, envie sua questão para o Papo pelo email uoleconomiafinancas@uol.com.br.

O que é a taxa Selic

A taxa Selic é a taxa de juros básica da economia brasileira. Ela é usada pelo Banco Central para aquecer ou desaquecer a economia, e é definida pelo Copom (Comitê de Política Monetária). Isso porque, com juros mais altos, as pessoas preferem deixar o dinheiro investido e consumir menos. Financiamentos de carros e imóveis, bem como compras parceladas, ficam mais caras. Já com os juros baixos as pessoas têm mais incentivos para comprar - o que pode fazer com que a inflação suba.

A taxa de juros alta (hoje, está em 13,75% ao ano) favorece a rentabilidade dos investimentos em renda fixa. Em contrapartida, as taxas para financiamentos e empréstimos estão altas também.

Mas ela pode começar a cair nos próximos meses. "A expectativa do mercado é que a Selic pode cair. Mas a gente não sabe quando isso vai acontecer", diz Lueny. Alguns especialistas afirmam que a queda vai começar na próxima reunião do Copom, em agosto, enquanto outros afirmam que isso só acontecerá em setembro.

E como investir com esse cenário? Vale a máxima dos investidores: melhor diversificar os ativos nos quais você aplica seu dinheiro. Assim, você não precisa fazer movimentações constantes por causa do que acontece no mercado financeiro.

Para que essas movimentações não aconteçam, você precisa ter a sua estratégia de investimentos bem definida, pensando em investimentos para o longo prazo. No curto e médio prazo, você precisa entender, primeiro, o prazo do seu projeto, para conseguir buscar os melhores investimentos no mercado financeiro.
Lueny Santos, planejadora financeira

Quero investir na renda fixa. Se os juros começarem a cair, onde eu invisto meu dinheiro?

Todo investimento vai depender do seu objetivo. "Se o seu projeto tem uma data para acontecer, você precisa ficar atento a esse prazo na hora de escolher o investimento", afirma Lueny.

Por exemplo: Você vai precisar do dinheiro daqui a três anos para o aniversário de 15 anos da sua filha. Portanto, você não pode correr o risco de chegar a essa data com o seu investimento no negativo. "Aqui, você não pode correr o risco de não ter o dinheiro disponível daqui a três anos. Então, você vai procurar produtos mais conservadores com prazos e rentabilidades definidas, independente se a taxa Selic está alta ou baixa", diz ela.

Confira os tipos de remuneração na renda fixa:

  • Produtos atrelados à Selic ou ao CDI, como o Tesouro Selic e CDBs.
  • Produtos prefixados: Eles têm uma taxa fixa, independente do que aconteça no mercado. A média de remuneração hoje é de 10% ao ano.
  • Produtos atrelados ao IPCA (inflação).

Mesmo na renda fixa, você pode ter risco. Então, você precisa entender, primeiro, o prazo do seu projeto, para saber se você tem a possibilidade de assumir um pouco mais de risco.

Por exemplo: Não dá para arriscar com o dinheiro de uma viagem que vai acontecer daqui a um ano. Mas é possível correr um pouco mais de risco para ter uma rentabilidade maior, se o objetivo é mais longo, para daqui a muitos anos. Isso porque, nesse prazo, o investimento pode ter instabilidade, mas acaba se equilibrando e pode render mais.

Não olhe para o que rende mais. Você deve manter os seus produtos pensando no prazo, e não olhando para a rentabilidade.

Um erro comum para quem começa a investir é buscar o investimento que rende mais no mercado. Mas se ele não estiver alinhado ao seu prazo, você pode precisar de resgatar o dinheiro antes do prazo. Daí, você perde dinheiro com a marcação a mercado.
Lueny Santos, planejadora financeira

Independente se os juros vão começar a cair ou não, você precisa olhar para o prazo do seu projeto, para poder adequar esse prazo ao investimento disponível no mercado.
Lueny Santos, planejadora financeira

E quais as opções, então?

  • Manter seus investimentos em produtos atrelados à Selic ou ao CDI, "entendendo que agora você vai ganhar mais e, com a queda da taxa Selic, vai passar a ganhar menos, mas com a segurança de que você vai manter uma rentabilidade".
  • Escolher um produto prefixado, "mas você também assume o risco de fixar essa taxa um pouco menor que a Selic". "Nesses dois pontos, existe o risco. Você só precisa entender o risco que quer assumir", afirma Lueny.

Ainda vale investir no Tesouro Selic com a possível queda dos juros?

Depende do motivo que você está investindo esse dinheiro, segundo Lueny.

Se você está investindo para a sua reserva financeira, o Tesouro Selic é uma boa. Isso porque você consegue resgatar o dinheiro a qualquer momento, sem correr o risco da marcação a mercado. "Ainda vale investir no Tesouro Selic, se o seu objetivo estiver adequado ao produto", declara.

Mas, se você está investindo para o longo prazo (aposentadoria, compra de um imóvel daqui a dez anos, etc.), o Tesouro Selic já não é indicado. "Você deve procurar produtos que vão entregar uma rentabilidade melhor, de acordo com esse prazo que você quer", diz ela.

Se você entendeu quais são os riscos que está correndo na renda fixa, se você fez a escolha dos seus produtos de acordo com as estratégias que fazem sentido para o seu cenário, para o seu perfil, para os seus projetos, você não deve fazer esses movimentos [de ficar trocando os investimentos].
Lueny Santos, planejadora financeira

Qual o melhor título do Tesouro hoje?

Há muitas possibilidades disponíveis na plataforma do Tesouro Direto.

Vai depender do prazo que você está disposto a investir. Se o seu projeto vai acontecer antes de 2026, você deve escolher um produto com a data de vencimento até esse prazo. Se precisar resgatar o dinheiro antes, você estará sujeito à marcação a mercado - o valor pode subir ou cair, mesmo em um investimento seguro como o Tesouro.

Para o longo prazo (aposentadoria, acumular patrimônio, etc.), os melhores produtos são os atrelados ao IPCA. É o caso do Tesouro IPCA e do Tesouro RendA+. "São produtos atrelados à inflação, que é uma forma de você proteger o seu poder de compra", afirma. A diferença entre eles é a forma de resgate do dinheiro.

Portanto, você precisa saber o porquê de estar guardando esse dinheiro para começar a fazer um filtro de quais são as possibilidades que você tem no mercado.
Lueny Santos, planejadora financeira

Para onde vão os juros este ano?

A expectativa do mercado é de redução na taxa Selic. No Boletim Focus, relatório disponibilizado no site do Banco Central, é possível avaliar as expectativas do mercado. A expectativa era de que a taxa Selic pode passar de 13,75% para 12% até o final de 2023. Para 2024, a taxa Selic pode ser de 9,5% e, para 2025, de 9%.

Mas essas expectativas vão mudando conforme o cenário macroeconômico, com influência externas e internas. O mercado é cíclico. Haverá momentos em que a taxa Selic vai estar alta; em outros, baixa. E a gente vai viver esses movimentos de altas e quedas ao longo da vida.

O que você precisa fazer é olhar para a estratégia que desenhou para a sua carteira, e entender essas particularidades do mercado, para você conseguir fazer as melhores escolhas. Mas sempre lembrando que você tem uma estratégia de diversificação já pré-definida.

Posso perder dinheiro na renda fixa? Sim, se você começar a assumir riscos que não fazem sentido para a sua estratégia. É o caso de resgatar o dinheiro antes do prazo de vencimento. Outro exemplo é se você precisar vender um produto que não tem liquidez, ou seja, que não tem muitos compradores. Você corre o risco de não conseguir o dinheiro no prazo que precisa.

Não existe investimento sem risco, diz ela. "Os títulos públicos são os mais seguros do mercado. Mas ainda assim você pode perder dinheiro neles, por escolher produtos que não fazem sentido para você, para o seu perfil, para o seu projeto", afirma.

Perder dinheiro, em si mesmo, só vai acontecer se você não respeitar os prazos dos investimentos. O que você pode perder é a oportunidade de ter o seu dinheiro investido em outro lugar com uma rentabilidade diferente daquela que você escolheu.
Lueny Santos, planejadora financeira

Tenho reserva de emergência em CDB. Com a queda dos juros, devo mudar?

Não deve mudar. A reserva de emergência tem uma característica principal que é ter liquidez, ou seja, a facilidade de resgatar o dinheiro.

"Independente de quanto a taxa Selic estiver, você vai continuar tendo produtos com liquidez. E produtos com liquidez não têm tanta rentabilidade, porque a característica mais importante [da reserva] é ter liquidez", afirma Lueny. "Não façam movimentos com a reserva financeira só porque a taxa Selic está caindo", afirma.

Principais produtos para a reserva:

  • Tesouro Selic
  • CDB de liquidez diária
  • Fundos de renda fixa simples: compram títulos públicos e produtos atrelados à taxa Selic ou ao CDI.

Aulão: como sair da poupança com segurança para ganhar mais dinheiro

A poupança é o investimento mais usado pela maioria dos brasileiros. Mas há outras opções que podem ser mais vantajosas e que rendem mais.

Para quem está começando a investir, UOL fez uma série de quatro aulas ao vivo sobre como diversificar sua carteira.

O tema foi "Como sair da poupança com segurança para ganhar mais dinheiro". Falamos sobre as opções de investimento que existem, como avaliar o seu perfil para investir de acordo com sua tolerância ao risco, como diversificar sua carteira e como saber se os seus investimentos estão de acordo com os seus planos e sonhos.

As quatro aulas já estão no ar. O primeiro episódio e fala sobre quais são os principais investimentos existem, como funcionam e quais são seus riscos. Assista à aula completa aqui. Já o segundo episódio mostra como descobrir qual é o seu perfil de investidor para aplicar melhor seu dinheiro, veja aqui. Já a terceira aula fala sobre como montar uma carteira de investimentos e está disponível aqui. O último episódio, sobre como movimentar sua carteira, pode ser assistido na íntegra aqui.

Assista ao aulão no Papo com Especialista, programa ao vivo do UOL, todas as quintas-feiras, das 16h às 16h40.

Assinantes do UOL podem reassistir às aulas quantas vezes quiserem. Ao final, os assinantes ainda vão ganhar um guia exclusivo sobre como investir além da poupança. Assine aqui e participe!

A última série do Papo com Especialista foi sobre como ter renda passiva pingando na sua conta com os investimentos. Para saber mais, acesse o especial "Guia de Investimentos para ter Renda Passiva", exclusivo para assinantes.

Quer investir melhor? Receba dicas em seu email

Você quer aprender a ganhar dinheiro com segurança em investimentos no curto, médio e longo prazo, mesmo que nunca tenha investido?

A página de investimentos do UOL tem uma newsletter gratuita que o ajuda nesse objetivo. Ao assinar, você recebe todos os dias, antes da abertura da Bolsa, uma análise do mercado feita pela equipe do PagBank Investimentos. Com essa newsletter, você vai aprender a investir e entender o que está acontecendo com o mercado.

Além da newsletter diária, você também recebe, semanalmente, uma análise sobre investimentos, com dicas sobre como aplicar melhor e com segurança seu dinheiro. Para assinar a newsletter gratuita de investimentos do UOL, é só clicar aqui. Há ainda conteúdos diários sobre diversos tipos de ativos.

Tem dúvidas sobre ações, fundos e outros investimentos da Bolsa? Envie sua pergunta para uoleconomiafinancas@uol.com.br.

Este material não é um relatório de análise, recomendação de investimento ou oferta de valor mobiliário. Este conteúdo é de responsabilidade do corpo jornalístico do UOL Economia, que possui liberdade editorial. Quaisquer opiniões de especialistas credenciados eventualmente utilizadas como amparo à matéria refletem exclusivamente as opiniões pessoais desses especialistas e foram elaboradas de forma independente do Universo Online S.A.. Este material tem objetivo informativo e não tem a finalidade de assegurar a existência de garantia de resultados futuros ou a isenção de riscos. Os produtos de investimentos mencionados podem não ser adequados para todos os perfis de investidores, sendo importante o preenchimento do questionário de suitability para identificação de produtos adequados ao seu perfil, bem como a consulta de especialistas de confiança antes de qualquer investimento. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura e não está isenta de tributação. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, a depender de condições de mercado, podendo resultar em perdas. O Universo Online S.A. se exime de toda e qualquer responsabilidade por eventuais prejuízos que venham a decorrer da utilização deste material.