ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Empreendedorismo

Galinha Pintadinha inspira DVD infantil de bichos; veja dicas sobre negócio

Afonso Ferreira

Do UOL, em São Paulo (SP)

09/12/2013 06h00

O sucesso da Galinha Pintadinha incentivou a produtora Mr. Plot, de Recife (PE), a lançar um DVD infantil com 11 músicas que falam sobre os animais. As canções abordam os bichos que vivem na fazenda, floresta, fundo do mar e outros habitats.

Com a venda dos DVDs e o licenciamento de produtos como brinquedos, roupas e material escolar, a partir do ano que vem, a empresa espera faturar R$ 50 milhões até 2015.

Segundo o sócio da produtora, João Henrique Souza, 35, a Galinha Pintadinha demonstrou que o público infantil estava carente de animações musicais.

Apesar de a produtora se inspirar na Galinha Pintadinha, Souza diz que sua animação tem diferenciais. 

A primeira diferença em relação à Galinha Pintadinha, afirma o empresário, é que o personagem principal do DVD é um humano e se chama Bita. Segundo Souza, ele é um desbravador que apresenta os animais para o público durante os clipes musicais.

No caso da Galinha Pintadinha, ela própria personagem é a protagonista dos DVDs.

Além disso, de acordo com ele, as canções do DVD são todas de autoria da produtora, enquanto a Galinha Pintadinha utiliza, principalmente, músicas populares ou de domínio público, entre elas, "Escravos de Jó", "Ciranda Cirandinha" e "O Cravo e a Rosa".

A tiragem inicial dos DVDs será de 5.000 cópias. No entanto, Souza afirma que, em 2014, as vendas devem ser maiores. “Nesse primeiro momento vamos apenas atender o público que já pede pelo produto nas redes sociais e sentir o mercado.”

O lançamento oficial do DVD “Bita e os Animais” foi no último sábado (7). O preço cobrado é de R$ 22,90.

 

Negócio teve dificuldades no início

A Mr. Plot foi criada em 2011 para produzir livros digitais infantis para tablets e smartphones. Porém, a ideia se mostrou inviável logo no início. “A receita gerada com a venda dos livros não era suficiente para pagar os custos da empresa”, diz Souza.

Em seguida, a produtora começou a criar aplicativos educativos para aparelhos da Apple e com sistema operacional Android. Na tentativa de divulgar os aplicativos, foram lançados os clipes musicais, que logo se tornaram o foco do negócio.

No início de 2013, a Mr. Plot foi selecionada para ser incubada na Portomídia, incubadora de negócios criativos da capital pernambucana. “Começamos a empresa da maneira errada, mas conseguimos acertá-la no percurso”, declara.

Apesar de não divulgar o faturamento, Souza diz que a produtora consegue se manter com a própria receita. Além da venda dos aplicativos, a empresa tem um contrato para exibição dos clipes nos intervalos da programação do canal a cabo Discovery Kids.

Desde 2011 já foi investido cerca de R$ 1 milhão em recursos próprios no negócio. Os quatro sócios da produtora também têm participação em outras empresas.

Crianças crescem e mudam de gosto com rapidez

Para o consultor em marketing infantil Arnaldo Rabelo, o mercado tem potencial para ser explorado. Mas, é preciso respeitar a inocência das crianças e prezar pelo conteúdo educativo.

“O ideal é que a empresa tenha pedagogos que possam auxiliar na produção do conteúdo de maneira adequada para cada faixa etária”, afirma.

No entanto, o consultor diz que empresas que trabalham com o público infantil perdem consumidores com mais rapidez à medida que as crianças ficam mais velhas.

“No caso dos clipes animados, a criança só vai assisti-los até os 7 anos, quando ainda acredita no faz de conta e na fantasia. Depois, ela começa se inserir na realidade e a buscar ídolos e referências no mundo real”, declara.

De acordo com a diretora executiva da Apro (Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais), Sônia Regina Piassa, as produções infantis não podem conter violência, sexualidade ou incentivar atitudes que possam machucar a criança.

“Além de haver uma legislação que protege a criança, vale o bom senso do empresário. Os pais são bem seletivos e não vão expor os filhos a qualquer tipo de conteúdo”, afirma.

Mais Empreendedorismo