PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Privatização da Eletrobras e duas empresas para ficar de olho na Bolsa hoje

Exclusivo para assinantes UOL

Carol Paiffer

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/06/2021 04h00

Confira no Café com Mercado, do UOL Economia+, três assuntos que podem influenciar a Bolsa nesta sexta-feira (18) e duas empresas para ficar de olho.

1) Eletrobras - O Senado aprovou nesta quinta-feira (17) o texto-base da MP (Medida Provisória) de privatização da Eletrobras.

O relator da proposta, senador Marcos Rogério (DEM-RO), apresentou três versões do relatório em menos de 24 horas, com diversas mudanças, para conseguir os votos e aprovar a proposta. Ele incluiu "jabutis", como são chamadas as adições de temas estranhos à proposta original.

Especialistas ouvidos pelo UOL dizem que a discussão está sendo feita de forma atropelada, atendendo a interesses de grupos específicos, com prejuízo ao meio ambiente e aos consumidores de energia.

Concluída a votação no Senado, o texto deverá ser votado novamente na Câmara dos Deputados. O assunto deve mexer com o mercado hoje, uma vez que o prazo para a medida ser aprovada pelo Congresso Nacional vai até 22 de junho, ou perde a validade.

2) CPI da Covid - A comissão que investiga as atitudes do governo no combate à pandemia continua nesta sexta, com a votação para a quebra de sigilo de diversas organizações sociais responsáveis pela gestão em hospitais no Rio de Janeiro.

Além disso, a CPI também votará a convocação do ex-governador do Rio Wilson Witzel (PSC), para ser ouvido para esclarecer fatos que, segundo ele, poderiam ser esclarecidos apenas reservadamente.

O andamento da CPI e o início da quebra de sigilos agitam ainda mais o já conturbado cenário político brasileiro. Por isso, o mercado pode responder ao tema hoje.

3) Juros no Brasil e nos EUA - A Bolsa brasileira, assim como nos EUA, continua digerindo o impacto das políticas monetárias divulgadas na última quarta-feira (16).

Até então, o Fed (Banco Central norte-americano) manteve o discurso de que voltaria a mexer na taxa de juros apenas a partir de 2024.

Contudo, cada vez mais membros do conselho começam a ser favoráveis a este aumento para conter a inflação no país, que já avançou 5% nos últimos 12 meses. Isso fez com que o Fed alterasse os planos iniciais e anunciasse que a taxa deve voltar a subir a partir de 2023.

No Brasil, o mercado já esperava por um aumento da taxa de juros para 4,25% ao ano. Contudo, o Copom, comitê do Banco Central responsável pela decisão, sinalizou que a próxima reunião pode vir com um aumento mais gradual na taxa.

Os indicadores devem continuar movimentando o mercado nesta sexta (18).

Fique de Olho

No Fique de Olho de hoje, Guilherme Cunha, analista da casa Recomenda Ações, traz duas companhias do setor financeiro, que tendem a se beneficiar com o aumento da taxa de juros.

A primeira delas é o banco Bradesco (BBDC4), que chama a atenção pela sua carteira de crédito para o varejo e empresas de pequeno porte. A companhia tem melhorado os critérios de análise de liberação de crédito, fazendo com que o crescimento do produto não seja acompanhado de um risco maior.

Outra companhia que deve se beneficiar com o movimento é a BB Seguridade (BBSE3). Segundo o analista, a empresa começa a apresentar maior rentabilidade em seus produtos de previdência de renda fixa, tornando suas ações mais atrativas aos investidores.

O programa Café com Mercado é apresentado pela fundadora e presidente da Atom S.A., Carol Paiffer.

Conheça os recursos do serviço de orientação financeira UOL Economia+, para quem quer investir melhor.

Entre no grupo UOL Economia+ e receba notícias de investimento no WhatsApp.

Tem alguma dúvida ou sugestão? Fale com a gente: uoleconomiafinancas@uol.com.br

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.