IPCA
0,46 Jul.2024
Topo

OPINIÃO

Entenda por que o bitcoin está sofrendo para disparar

Nicolas Meireles Nogueira

24/05/2023 04h00

A cotação do bitcoin (BTC) gira em torno de R$ 135 mil - ou US$ 27 mil - desde o começo de maio, quando recuou dos R$ 140 mil após os investidores de criptoativos demonstrarem preocupação com o futuro da economia dos Estados Unidos.

Quer entender por que o desempenho do bitcoin e das demais criptomoedas está sofrendo nesta semana e qual a relação disso com a economia americana? Vem com a gente!

Teto da dívida é objeto de disputa nos EUA

O governo federal americano possui um teto de gastos que o impede de se endividar para além daquilo que é aprovado pelo Congresso. De tempos em tempos, esse teto é aumentado, levando em conta a inflação e as necessidades da administração pública americana.

Historicamente, a negociação do teto da dívida gera debates ferrenhos no Congresso, principalmente em momentos de polarização política, segundo Alex Falararo, gerente de Research do PagBank.

Quando a disputa fica acirrada, o mercado tenta precificar o risco da aprovação ou não do teto, o que reflete no preço dos ativos. Para Falararo, devem ocorrer quedas inconstantes na Bolsa até que o assunto seja resolvido. Enquanto a discussão se estender, o mercado continuará apreensivo, na visão do especialista.

O risco, caso não se chegue a um consenso até junho, é o de o governo federal precisar se endividar ainda mais para manter a máquina pública funcionando, segundo a Secretária do Tesouro, Janet Yellen. Caso isso ocorra, haverá deterioração na economia americana e global.

Diante disso, fica a pergunta: qual a relação entre a discussão do teto da dívida nos Estados Unidos e o bitcoin?

Investidores de bitcoin acompanham o cenário macroeconômico

Numa análise inicial, não há relação entre o governo americano e o bitcoin, já que a criptomoeda é emitida de forma descentralizada e não depende do estado ou de instituições financeiras para funcionar.

Apesar disso, o cenário macroeconômico impacta diretamente o comportamento de preços de ativos de renda variável, incluindo criptomoedas, ações e fundos de investimento.

Isso ocorre porque um eventual "calote" do governo americano tende a prejudicar o interesse dos investidores em ativos mais arriscados, como é o caso das criptos, devido à incerteza gerada pelo evento.

Nessa linha, fatores como a inflação, taxa de juros e até mesmo o índice de desemprego afetam os preços dos criptoativos, pois são termômetros da situação econômica e de como as pessoas podem decidir alocar o seu patrimônio de acordo com diferentes situações.

Logo, na hipótese de o calote se confirmar, o mercado pode retirar liquidez dos criptoativos, ou seja: realocar investimentos deste setor para produtos, teoricamente, menos arriscados e de menor volatilidade.

Mercado cripto continua em alta

Mesmo que o preço do bitcoin esteja relativamente estagnado, a criptomoeda acumula ganhos de quase 65% em 2023, segundo dados do portal coingecko. Logo, é de se esperar que o bitcoin, ether (ETH) e outras moedas voltem a subir, se o aumento do teto de gastos seja aprovado.

Outra razão que pode animar investidores cripto é a possível redução da taxa de juros nos EUA em 2023, conforme prevê a casa de análises e pesquisas Morningstar. Caso isso ocorra, há possibilidade de valorização das criptos e demais ativos de renda variável.

Para se aprofundar no universo dos criptoativos, acompanhe os artigos do PagBank PagSeguro no UOL Economia!

UOL tem guia para investir e receber dinheiro pingando na conta

A renda passiva é a remuneração que não está vinculada a qualquer trabalho, atividade profissional ou prestação de serviço. É um dinheiro que você ganha sem precisar trabalhar.

E como receber esse dinheiro? Existem alguns investimentos mais indicados para esse objetivo. As principais alternativas são os dividendos de ações, os fundos imobiliários e determinados títulos do Tesouro. Mas há diferenças na remuneração, nas taxas, e no nível de risco de cada um.

Em última análise, todos os investimentos geram renda passiva, já que você não trabalha para ver os rendimentos.

Quer saber tudo sobre investimentos que pagam renda passiva? Acesse o especial "Guia de Investimentos para ter Renda Passiva", exclusivo para assinantes.Assine aqui e participe!

Especial faz parte de um aulão sobre investimentos inteligentes para quem está começando.

Em quatro lives, falamos sobre tudo o que você precisa saber para conseguir viver com uma renda dos seus investimentos e ter sempre um dinheiro pingando na sua conta. Falamos sobre ações que pagam dividendos, fundos imobiliários, títulos de renda fixa e fundos de investimentos.

As quatro aulas já estão no ar. A primeira aula, sobre o que é renda passiva, pode ser assistida aqui. A segunda aula é sobre FIIs e ações e pode ser assistida na íntegra aqui. Já a terceira é sobre como usar a Renda Fixa para ganhar mais com seus investimentos e pode ser vista neste link. A quarta aula, sobre fundos de investimentos, pode ser conferida na íntegra aqui.

Quer investir melhor? Receba dicas em seu email

Você quer aprender a ganhar dinheiro com segurança em investimentos no curto, médio e longo prazo, mesmo que nunca tenha investido?

A página de investimentos do UOL tem uma newsletter gratuita que o ajuda nesse objetivo. Ao assinar, você recebe todos os dias, antes da abertura da Bolsa, uma análise do mercado feita pela equipe do PagBank Investimentos. Com essa newsletter, você vai aprender a investir e entender o que está acontecendo com o mercado.

Além da newsletter diária, você também recebe, semanalmente, uma análise sobre investimentos, com dicas sobre como aplicar melhor e com segurança seu dinheiro. Para assinar a newsletter gratuita de investimentos do UOL, é só clicar aqui. Há ainda conteúdos diários sobre diversos tipos de ativos.

Tem dúvidas sobre ações, fundos e outros investimentos da Bolsa? Envie sua pergunta para uoleconomiafinancas@uol.com.br.

O UOL Economia é de propriedade do Universo Online S.A., sociedade que controla as empresas do Grupo UOL. O Grupo UOL tem em sua composição empresas que exercem atividades reguladas no setor financeiro. Apesar de o Grupo UOL estar sob controle comum, os executivos responsáveis pelo Banco Seguro S.A. são totalmente independentes e as notícias, matérias e opiniões veiculadas no portal tem como único objetivo fornecer ao público elementos a título educacional e informativo sobre o mercado e produtos financeiros, sendo baseadas em dados de conhecimento público na data de sua divulgação, conforme fontes devidamente indicadas, e condições mercadológicas externas ao Grupo UOL que podem ser alteradas a qualquer momento, mas sem constituir qualquer tipo de relatório de análise, recomendação, oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto.

Especialistas em finanças ajudam você a poupar e a escapar de erros comuns para quem quer construir um patrimônio. Tenha informações que auxiliam você a tomar decisões sobre investimentos e aproveite melhor as oportunidades disponíveis no mercado