PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

MSD investe em autonomia e todo mundo sai ganhando - literalmente

O CEO Delair Bolis: ?O mais importante é que a pessoa tenha a percepção de que está sendo recompensada pelo que faz" - Divulgação/MSD Saúde Animal
O CEO Delair Bolis: ?O mais importante é que a pessoa tenha a percepção de que está sendo recompensada pelo que faz" Imagem: Divulgação/MSD Saúde Animal

Diogo Antônio Rodriguez

Do UOL, em São Paulo

01/12/2020 14h33

Resumo da notícia

  • MSD Saúde Animal venceu o Prêmio Lugares Incríveis para Trabalhar 2020 na categoria "Mais Incrível em Remuneração"
  • Empresa oferece participação nos lucros, ações da empresa e premiações eventuais (os chamados "spot awards") para funcionários de todos os níveis
  • CEO Delair Bolis diz que respeito à individualidade e à autonomia do funcionário gera a excelência e a alta performance que permitem boa remuneração
  • Empresa tem universidade corporativa própria, focada em vendas, marketing e administração; 12% da equipe terá MBA em autoconhecimento até o fim do ano
  • MSD busca colaboradores que entendam sua cultura corporativa; primeiros 120 dias de trabalho são dedicados a treinamentos sobre valores e mindset

"Sempre dizemos que os bons são reconhecidos, mas os ótimos são recompensados e lembrados", diz Delair Bolis, presidente da MSD Saúde Animal, empresa de produtos e serviços veterinários que, todo ano, fatura mais de mais de R$ 1 bilhão só no Brasil.

MSD Ficha - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL
Bolis pode falar com propriedade de recompensas: a MSD foi levou o título de "Mais Incrível em Remuneração" do Prêmio Lugares Incríveis para Trabalhar 2020. "Ficamos felizes de termos sido reconhecidos nesse aspecto", afirma o executivo. "Isso mostra que o nosso colaborador está se sentindo valorizado e muito bem cuidado."

E não importa em que nível da hierarquia esse colaborador está. A MSD oferece participação nos lucros, ações da empresa e premiações eventuais (os chamados "spot awards") para todos, do diretor ao vendedor, do gerente ao operador. Há subsídios para cursos técnicos, cursos de idioma e, a partir do cargo de analista, também para MBA ou pós-graduação.

Aqui se faz, aqui se paga

Funcionários da MSD Saúde Animal - Divulgação/MSD Saúde Animal - Divulgação/MSD Saúde Animal
Colaboradores de todos os níveis podem ser beneficiados com participação nos lucros, ações da empresa e premiações
Imagem: Divulgação/MSD Saúde Animal
Na visão de Bolis, porém, a política de salários da MSD não é muito diferente do que a concorrência oferece. "A remuneração de colaboradores e líderes está na média do mercado. Cada um aqui dentro sabe se seu salário está abaixo, acima ou na média para aquela posição", afirma.

Então, qual é o segredo da empresa? "A questão da remuneração é relativa", acredita. "O mais importante é que a pessoa tenha a percepção de que está sendo recompensada pelo que faz."

Para o CEO, antes de maximizar a conta bancária, é precisa "maximizar o estilo" do funcionário. Em suas palavras: "Cada pessoa é única. E a MSD permite que cada pessoa possa ser ela mesma aqui dentro. Quanto maior a autonomia e o engajamento, mais próximos chegamos da excelência, e mais próximos chegamos de uma performance que permite a redistribuição dos resultados em forma de remuneração."

Quem é você depois do expediente?

Sede da MSD Saúde Animal  - Divulgação/MSD Saúde Animal - Divulgação/MSD Saúde Animal
Sede da MSD: ao menos 20% do faturamento investido na capacitação da equipe
Imagem: Divulgação/MSD Saúde Animal
Segundo Bolis, "pagamentos e benefícios" é apenas uma das três grandes áreas do RH da companhia. As outras duas são igualmente importantes.

Uma é a capacitação. "Investimos mais de 20% dos nosso faturamento no desenvolvimento de novos produtos. Mas investimos muito mais do que 20% no desenvolvimento das pessoas", compara. "Isso faz com que tenhamos pessoas treinadas constantemente".

A empresa oferece sua própria universidade, com conteúdos focados em vendas, marketing e administração, e também em autoconhecimento (que Bolis considera essencial). "Vamos terminar 2020 com mais de 12% da nossa organização concluindo MBA nessa área de autoconhecimento, desenvolvimento do potencial humano e liderança", estima.

A outra é a atração de talentos. "Vamos buscar os melhores profissionais do mercado. Mas não trazemos alguém se ele não acreditar no propósito pelo qual vai trabalhar. Então nossa primeira preocupação é se o candidato se encaixa na nossa cultura", explica. E, mesmo quem se encaixa, ainda passa os primeiros 120 dias do emprego em um treinamento sobre os valores e o mindset da MSD.

Para Bolis, essa ênfase é um sinal dos tempos. "Quando entrei no mercado de trabalho, em 1997, as empresas se importavam apenas com o que você fazia no horário de trabalho. Depois do expediente, não se importavam mais", lembra. "A gente inverteu isso. A gente se importa muito mais com o que o funcionário faz depois das 18h do que antes. Porque a gente quer que ele seja, no local de trabalho, quem ele é em casa."

Para o executivo, é assim que o verdadeiro potencial do trabalhador vem à tona. "E é isso que faz com que ele reconheça que os benefícios que damos estão dentro ou acima da média do mercado", conclui.

O Prêmio Lugares Incríveis para Trabalhar é uma iniciativa da Fundação Instituto de Administração (FIA) e do UOL. A premiação é baseada na pesquisa FIA Employee Experience, respondida por 150 mil funcionários de mais de 300 empresas brasileiras, entre agosto e setembro. Confira os vencedores: