PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

Seguros Unimed vence prêmio de melhor experiência para funcionários

Formandos do Programa Aprender, da Seguros Unimed: 91% dos funcionários aprovam os cursos e treinamentos oferecidos  - Divulgação/Seguros Unimed
Formandos do Programa Aprender, da Seguros Unimed: 91% dos funcionários aprovam os cursos e treinamentos oferecidos Imagem: Divulgação/Seguros Unimed

Bruno Lazaretti

Do UOL, em São Paulo

01/12/2020 14h48

Resumo da notícia

  • Seguros Unimed venceu o Prêmio Lugares Incríveis para Trabalhar 2020 na categoria "Mais Incrível em Employee Experience"
  • Política de benefícios tem aprovação de 95% dos funcionários; salários e remuneração, 93%; programas de qualidade de vida, 91%; home office, 89%
  • Empresa investiu R$ 40 milhões para honrar prêmios de seguro durante a pandemia de Covid-19, mesmo desobrigada por lei
  • Serviços de RH foram digitalizados por meio de aplicativo e novo programa de Serviço Social reúne dados que orientam ações da empresa
  • Há programas de ergonomia, saúde emocional, antitabagismo, vacinação controle do peso, aleitamento e até subsídios para corridas de rua

Conquistar o Prêmio Lugares Incríveis para Trabalhar na categoria de "Mais Incrível em Employee Experience" já seria o suficiente para encher qualquer empresa de orgulho. Mas o fato de a Seguros Unimed ter vencido em um ano marcado pela pandemia torna o feito ainda mais admirável. Afinal, ela estava (e ainda está) na linha de frente de combate ao Covid-19, entre médicos, clientes e funcionários que se voltam à empresa em busca de amparo, informação e esperança.

Ficha Seguros Unimed - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL
Quando a pandemia chegou ao Brasil, a alta diretoria da companhia tomou uma decisão no escuro. A rigor, os contratos de seguro de vida desobrigam seguradoras de pagar indenizações em caso de morte ou incapacidade resultantes de Covid-19. Até hoje, a exploração dessa brecha é possível, já que o Projeto de Lei 2.113/20, que pretende obrigar seguradoras a pagar esses prêmios, está parado na Câmara dos Deputados desde maio.

Mas qual mensagem isso mandaria aos clientes da seguradora do Sistema Unimed, que reúne 345 cooperativas e nasceu como um fundo previdência privada para médicos? E qual mensagem passaria a demais clientes, e, principalmente, aos colaboradores, que naquele momento estavam temendo pela própria saúde, vida e emprego? A empresa decidiu que pagaria os seguros, independentemente do custo.

"Seria impossível explicar para um médico, que tem seguro conosco há 20 anos, que ele, em plena batalha contra uma pandemia, teria o seguro suspenso", declara o diretor-presidente Helton Freitas. A decisão acabou custando R$ 40 milhões à empresa. "Não tínhamos como estimar o custo, então tomamos a decisão sem saber. Mas se custasse R$ 100, 200 milhões, faríamos o mesmo", completa o CEO.

União em tempos de cólera

Helton Frias, diretor-presidente da Seguros Unimed - Divulgação/Seguros Unimed - Divulgação/Seguros Unimed
Frias: "A vida das pessoas é importante para nós. E isso também vale para o público interno"
Imagem: Divulgação/Seguros Unimed
Freitas, que está no cargo desde 2015, continua: "A gente não está aqui só porque no fim do ano tem que pagar bônus e dividendos para acionistas. Com esse tipo de atitude, a gente está dizendo que a vida das pessoas é importante para nós. E isso vale para o público interno também".

Os funcionários ouviram o recado em alto e bom som. Na pesquisa FIA Employee Experience, que serviu de metodologia para o prêmio, a avaliação feita anonimamente pelos colaboradores é extremamente positiva. As políticas de benefícios, por exemplo, tiveram 95% de aprovação. Salários e remuneração variável, 93%. Programas de qualidade de vida, 91%. Cursos, também 91%. Política de home office, 89%. Até as festas e eventos são um sucesso: 94%.

Esse tipo de estatística está sempre no radar de Eduardo Ribas. Desde que assumiu como superintendente de pessoas, processos e qualidade, há três anos, uma de suas missões é melhorar pontos fracos detectados em pesquisas de clima. Em 2018, por exemplo, notou um indicador alarmante nas relações interpessoais de departamentos diferentes.

"Trabalhamos em ações focadas para quebrar esses muros", conta Ribas. "Com metas comuns, objetivos comuns, com o exemplo dos próprios gestores e diretores, mudanças nos processos, definições de reconhecimento." Áreas "rivais" foram conciliadas com conversas em conjunto, mediadas pela própria diretoria, que além de Helton Freitas, inclui outros quatro executivos.

Tecnologia para entender as demandas

Eduardo Ribas - Divulgação/Seguros Unimed - Divulgação/Seguros Unimed
Ribas: análise de dados para orientar a comunicação durante a pandemia
Imagem: Divulgação/Seguros Unimed
Outra medida para reforçar o clima organizacional foi a digitalização do sistema de RH. Hoje, através de um aplicativo de telefone, o Conexão RH, os cerca de 1.400 colaboradores têm uma linha direta com as decisões, comunicados, benefícios, gestão de férias, avaliação de desempenho, e políticas de bem estar da empresa. "Não adianta só abrir as portas. As pessoas têm que perceber que as portas estão abertas", teoriza Ribas.

Também foi lançado um programa de Serviço Social. Quando o funcionário é afligido por questões relacionadas ao bem-estar, entra em contato ou é encaminhado pelo ambulatório a um canal de atendimento, que escuta a queixa e propõe uma solução, como atendimento psicológico à distância. As preocupações são registradas e repassadas anonimamente ao RH, que usa os dados para identificar problemas comuns e antecipar ações.

Com a pandemia, o programa bombou. "Entraram dúvidas sobre todo tipo de assunto. Práticas de higiene, dificuldade em cozinhar em casa, ou para lidar com as crianças... Fizemos uma análise numérica e tudo isso orientou nossa comunicação", revela Ribas.

Central de atendimento - Divulgação/Seguros Unimed - Divulgação/Seguros Unimed
Funcionários na central de atendimento: política de remuneração é aprovada por 93%
Imagem: Divulgação/Seguros Unimed
Antes da crise sanitária, a Seguros Unimed pretendia iniciar um programa de home office gradual: 10% da força de trabalho até o fim do ano. Em março, claro, tudo mudou: 100% dos colaboradores foram para casa. "Foi a meta mais fácil de atingir da minha vida", brinca Ribas. A empresa aderiu ao movimento Não Demita e, entre outras iniciativas de bem-estar, lançou a #SextouLive, ciclo de lives que abordam desde técnicas de produtividade em casa até o recente aumento de casos de Covid-19. Muitos temas foram definidos pela análise de dados do programa de Serviço Social.

Para muito além da pandemia, a experiência do funcionário na Seguros Unimed conta com um cardápio extenso de benefícios e programas de saúde. Há programas de ergonomia, saúde emocional, antitabagismo, controle do peso, sala de aleitamento, campanhas de vacinação, subsídios para corridas de rua, acompanhamento de gestantes, academias e horário flexível de trabalho. O que é coerente com o propósito e o core business da própria empresa, que essencialmente vende benefícios, saúde e segurança a outras empresas. E é essa coerência que está no cerne da visão de Helton Freitas para o clima organizacional. "Para ser um lugar legal para se trabalhar, não adianta apenas a aparência. É preciso de fato praticar", conclui o diretor.

O Prêmio Lugares Incríveis para Trabalhar é uma iniciativa da Fundação Instituto de Administração (FIA) e do UOL. A premiação é baseada na pesquisa FIA Employee Experience, respondida por 150 mil funcionários de mais de 300 empresas brasileiras, entre agosto e setembro. Confira os vencedores: